DESCANSO PARA LOUCURA: 2022

PESQUISE NESTE BLOG

terça-feira, 24 de maio de 2022

São João do Povo 2022 - Palmeira dos Índios/AL

Segue a Programação das Festas Juninas 2022 em Palmeira dos Índios/AL, que ocorrerão de 04 a 29 de junho, na Estação do Forró!

Principais atrações:

Dia 12/06 - Forrozão Supapo, Alcymar Monteiro e Santana (o cantador); 

Dia 14/06 - Cowboy do Forró, Ana Lobo e Zé Vaqueiro;

Dia 15/06 - Orleane Plácido, Brasas do Forró e Luan Estilizado;

Dia 23/06 - Os Caboclos, Danielzinho e Jorge de Altinho;

Dia 28/06 - Cantor Nil, Walkyria Santos e Peruanno.


terça-feira, 10 de maio de 2022

domingo, 17 de abril de 2022

Serra e Cristo do Goití de Palmeira dos Índios/AL, na Semana Santa

Algumas imagens e vídeos curtos (#shorts) da Serra do Goití e do Cristo Redentor de Palmeira dos Índios, em Alagoas, em plena Semana Santa!

Aproveitamos para desejar um Feliz Domingo de Páscoa a tod@s vocês que acompanham as nossas postagens!



segunda-feira, 11 de abril de 2022

Paixão de Cristo 2022 em Palmeira dos Índios/AL - panfleto e vídeo de divulgação

Olá pessoal!

Segue o panfleto e o vídeo de divulgação da Paixão de Cristo 2022, em Palmeira dos Índios/AL. A mesma volta a ser encenada no Alto da Serra do Goití, após a suspensão dos últimos dois anos, por conta da pandemia.

Realização nos dias 14, 15 e 16 de abril, sempre a partir das 20 h.

quarta-feira, 30 de março de 2022

Poesia Livre 2022 - Seleção Poesia Brasileira


 

Inscrições gratuitas.

De 05 de dezembro de 2021 a 05 de abril de 2022.

 Concurso literário de poesia

Concurso Nacional Novos Poetas

POESIA LIVRE 2022.

Seleção Poesia Brasileira

O certame é uma iniciativa da Vivara Editora Nacional.

  São aceitos todos os gêneros da poesia, incluindo prosa poética. Cada candidato pode inscrever-se com até dois poemas de sua autoria.
 
 Para inscrever-se com os poemas é simples, siga os seguintes passos;
 1- Baixe o formulário de inscrição no botão abaixo.
 2- Preencha o formulário de inscrição com os seus dados pessoais e os nomes dos poemas. Salve o formulário com o seu nome.
 3- O arquivo do formulário de inscrição, deve ser enviado juntamente com o arquivo contendo os poemas.

Envie-nos o formulário de inscrição e o arquivo contendo poemas para, atendimento@poesialivre.com.br
 4- Em até 48 horas, você receberá a confirmação de inscrição realizada com sucesso.
 
  A listagem dos poemas classificados, estará disponível em 22 de abril de 2022.

Para saber mais, clique AQUI.

quinta-feira, 24 de março de 2022

Resumo: A Visita Domiciliar e a Visita Institucional como instrumentos de apreensão da realidade social...

A VISITA DOMICILIAR E A VISITA INSTITUCIONAL COMO INSTRUMENTOS DE APREENSÃO DA REALIDADE SOCIAL NA GARANTIA DOS DIREITOS HUMANOS

Imagem copiada de GESUAS.

 A metodologia de trabalho – para os assistentes sociais é de grande importância, principalmente quando ela vem revestida de instrumentos de trabalho.

E para realizar a tão necessária práxis profissional, o assistente social precisa ter conhecimentos suficientes sobre a realidade, observando que esta se revela a partir dos fenômenos e que estes podem ser alcançados sucessivamente, havendo o imediato desvelamento da realidade.

Observando o seu código de ética profissional e o projeto profissional (âmbito teórico-metodológico), atrelados à dimensão técnico-operativa, o assistente social deve se aproximar ao máximo das demandas dos diversos segmentos sociais.

Quanto à visita domiciliar, historicamente, ela era utilizada na tentativa de normatização social.  Na atualidade ela é considerada uma dimensão do projeto ético-político e um importante instrumental.

Ela permite um conhecimento mais amplo das condições sociais nas quais estão inseridos os sujeitos. “O profissional que fizer uso da visita domiciliar como instrumento de trabalho deverá ter consentimento dos usuários para sua entrada na casa, explicando os motivos que o levaram a efetuar a visita, aceitando as condições oferecidas pelos sujeitos que o receberam, identificando a realidade como ela ali se apresenta, pois isto é de suma importância”.  

Ainda devemos enfatizar que a visita domiciliar, para surtir efeito, deve estar acompanhada da entrevista e da observação. “Assim, a visita domiciliar não é de uso exclusivo do assistente social, porém, esse profissional possui uma carga de conhecimento que lhe permite interagir com esse instrumento a favor da garantia dos direitos e na melhoria da qualidade de vida dos usuários”.

Quanto à visita institucional é também um instrumento técnico-operativo para a viabilização de sua intervenção na realidade. “E a visita institucional é um instrumento técnico-operativo a partir do qual o profissional dessa área, por solicitação ou iniciativa própria, vai até a instituição para - através de um estudo social - conhecer a realidade social de atendimento e serviços prestados a população-alvo de uma política pública, como criança, adolescente, idoso, etc.”.

São seus objetivos: levantar elementos da realidade institucional; verificar se o atendimento prestado a população atende aos estabelecidos em lei; aproximar-se da realidade institucional, para melhor atuar; levantar elementos da realidade que possibilitem ao Ministério Público a realização de análises e avaliações; conhecer e compreender mudanças na dinâmica interna de determinadas instituições; construir um canal de ligação constante entre Ministério Público e as instituições; levantar informações e organizá-las num banco de dados sobre os serviços sociais, para facilitar o acesso da população aos mesmos.

Alguns procedimentos devem ser adotados para que se alcancem os objetivos sintetizados anteriormente.

· Fazer um planejamento da visita institucional, pelo profissional de serviço social profissional, devendo este procurar obter maiores informações a respeito de tudo que envolve a instituição a ser visitada.

· Viabilizar as condições para realização da visita institucional, isto é, as condições de disponibilidade e tempo por parte dos responsáveis. Realização da visita: o assistente social precisa ter objetivamente o que quer conhecer e quem quer conhecer, para não entrar em setores que não lhe diz respeito.

· Construir um relatório de visita institucional. “O relatório faz parte da documentação da ação profissional, instrumento que permite o registro de tais ações nos diferentes momentos do trabalho”.

 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PEREIRA, Heloise Elaine. POLLIS, Rosilene de Fátima. ROCHA, Marco Antonio da. A visita institucional como instrumento técnico-operativo do Serviço Social no Ministério Público do Paraná. Artigo.

PERIN, Silvana Dóris. A visita domiciliar como instrumento de apreensão da realidade social. Artigo.

quinta-feira, 17 de março de 2022

Mano Walter na inauguração da Transbonifácio, Palmeira dos Índios/AL

O governador Renan Filho e o prefeito Júlio Cezar vão inaugurar no próximo dia 25 de março, uma sexta-feira, a rodovia Transbonifácio. É a mudança chegando na zona rural. Logo após haverá grande show de inauguração. A partir das 18h, na comunidade de Bonifácio, shows com as bandas Forrozão das Antigas, Art’Nossa e o nosso querido vaqueiro Mano Walter.
Uma realização da Prefeitura de Palmeira dos Índios e apoio do Governo do Estado de Alagoas. (texto informado pela comunicação municipal).

segunda-feira, 14 de março de 2022

14 de Março, Dia da Poesia no Brasil

Imagem disponível em WK3.

A data é uma merecedora homenagem ao grande poeta brasileiro Castro Alves (1847-1871) e sua história de luta por causas nobres, como a abolição da escravatura. Portanto, o dia da Poesia no Brasil é o mesmo que o aniversário do ilustre escritor, que nasceu em 14 de março de 1847, na Bahia, meu Nordeste brasileiro.

 

INTROSPECÇÃO


A vida é boa 

Para aqueles que sabem

Amar os momentos

E que do novo não pasmem.

 

Porque viver bem 

É saber acolher 

O que o mundo oferece 

E sintetizar, fazendo crescer 

Seu ser; indo além:

Da materialidade do mundo 

Do imediato presente, 

Mas num suspiro profundo 

Sentir de fato, seu ente.

Jalon Nunes

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

UMA ANÁLISE CRÍTICA SOBRE NOTÍCIA DE JORNAL - 2009

Segundo reportagem publicada no Jornal Gazeta de Alagoas, sob a assinatura do repórter Davi Soares (2009), cuja titulação expressa que “Violência no Estado assusta Conselho”, o Estado de Alagoas apresenta índices alarmantes de violência e acrescentamos a estes, a ausência de políticas públicas capazes de enfrentá-la ou de minimizá-la. De acordo com a reportagem, tratava-se da primeira reunião realizada pela nova formação do Conselho Estadual de Segurança Pública, na ocasião os membros obtiveram informações repassadas pela Central de Estatísticas e Conhecimento.

E já era de se esperar que a nova formação desse conselho encontrasse uma série de problemas a enfrentar, pois, recentemente pesquisas mostraram que o Estado de Alagoas lidera o ranking daqueles que mais gastam com segurança pública, porém esse dispêndio de recursos, por si só não está solucionando os problemas, quiçá apaziguando; mais que isso, de acordo com estudiosos e pesquisadores - tais como sociólogos - a questão não reside no fato quantitativo do quanto se gasta, mas num ente qualitativo de como se gasta, como esses recursos estão sendo utilizados. Isto é, somente em ações de reparação de danos e atos de violência, na maioria das vezes, eclodidos; logo, as ações da justiça de Alagoas, especialmente no que diz respeito à segurança pública, estão voltadas diretamente contra os atos de violência e se esquecendo de trabalhar em articulação com outros setores, especialmente no âmbito de educação e de cultura, para formar cidadãos pacifistas e autônomos; reduzir as mazelas sociais, as desigualdades e distribuir bem a renda.

Os gestores alagoanos precisam usar esse montante de recursos não somente contra as ações já ocorridas e tidas como violentas e que atentam contra o bem estar social, será necessário, portanto, atuar preventivamente e de forma processual, educativa e criativa, principalmente na massa de crianças e adolescentes, levando em conta um procedimento contínuo de formação social e a médio/longo prazo.

Enquanto isso não acontece, informações importantes sobre os detalhes da violência e sobre a quantidade e a qualidade dos aparatos de contenção dessa violência, que estiveram disponíveis ao público e aos que se interessarem, por pouco tempo, através do portal do Conselho na internet, deixam de estar acessíveis e acabam sendo centralizadas, porque, de acordo com o Presidente do Colegiado[1] essas informações – que atestam a quantidade e a intensidade da violência no Estado de Alagoas, que se mostra impotente para desintegrá-la, poderiam “servir de informações sobre os números de armas e de contingente policial por delegacia ou guarnição militar, bem como da estatística detalhada sobre os horários e bairros onde mais ocorrem determinados crimes da capital” do Estado (SOARES, Gazeta de Alagoas, p. A5, 2009)[2].

Ou seja, o Estado de Alagoas se esconde atrás de seus aparatos, com medo dos bandidos, assustado pela violência que ele mesmo ajudou a criar e a manter.


ANEXO

  | MACEIÓ, SEXTA-FEIRA, 18 DE AGOSTO DE 2009 | 

 Violência no Estado assusta Conselho

Colegiado decide retirar arquivos com as informações em portal na internet para evitar que sejam usados pelo crime organizado

 

| DAVI SOARES - Repórter

Na primeira reunião da nova formação do Conselho Estadual de Segurança Pública, a Central de Estatísticas e Conhecimento do colegiado apresentou dados sobre o quadro de permanente caos na segurança pública de Alagoas aos integrantes do grupo. As informações chamaram a atenção pela gravidade dos detalhes apresentados sobre a violência no Estado e pela falta de estrutura do aparato oficial de segurança, ao ponto de os conselheiros decidirem retirar os arquivos com as informações públicas do portal do Conselho na internet, que estreou ontem seu novo projeto visual. A decisão foi tomada pelo presidente do colegiado, Delson Lyra, após o promotor Cyro Blatter ter alertado seus colegas para a possibilidade de que o crime organizado pudesse se servir de informações sobre os números de armas e de contingente policial por delegacia ou guarnição militar, bem como da estatística detalhada sobre os horários e bairros onde mais ocorrem determinados crimes na capital.

 

 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

SOARES, Davi. Violência no Estado assusta conselho. Disponível em:

<http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=151555&ass=>

Acesso em: 28/08/2009.


[1] Delson Lyra; que fora orientado pelo Promotor Cyro Blatter.

[2] Na versão impressa, disponível a partir de: SOARES, Davi. Violência no Estado assusta conselho. Gazeta de Alagoas. Maceió, p. A5, 18 de ago. 2008, Ano LXXV, n°. 1359.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2022

SUNDOWN PARK - SALOÁ/PE

Olá pessoal, hoje trazendo para vocês algumas fotos e um vídeo que realizamos quando na visita ao Sundown Park, localizado no município de Saloá, Pernambuco.

Trata-se de um dos melhores parques aquáticos do Brasil, bem estruturado desde as suas instalações até a parte que corresponde as suas redes sociais, o que é muito importante hoje em dia.

Disponibiliza, com muita organização, espaço de estacionamento, bilheterias, vestiários, banheiros, ambulatório, restaurante, dentre outros. Além de trazer uma grande variedade de espaços aquáticos, desde as piscinas convencionais, piscinas infantis, também tem a piscina com ondas, os passeios de boia, a ilha dos piratas, diversos tobogãs e agregado também oferece o Reino dos Dinossauros.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022

Fichamento: Política Social: fundamentos e história, de Elaine Behring e Ivanete Boschetti

Imagem copiada: Editora Cortez

BEHRING, Elaine Rosseti; BOSCHETTI, Ivanete.  Política Social: fundamentos e história. São Paulo: Cortez, 2006. (Biblioteca Básica de Serviço Social; v. 2).


Capitalismo, Liberalismo e origem Política Social


Ø    As políticas sociais têm sua origem normalmente relacionada aos movimentos de massa social democrática, assim como o estabelecimento dos Estados-Nação (Europa) séc. XIX. Porém, no geral, sua origem está situada na passagem do Capitalismo concorrencial para o Monopolista.

 Ø    Ainda neste século algumas legislações geriam as relações de trabalho, porém suas funções eram de resignar o trabalhador, dentre suas funções citemos: estabelecer o imperativo do trabalho, obrigar o pobre a aceitar qualquer trabalho, regular a remuneração deste e proibir a mendicância de pobres válidos.

 Ø    Já a Nova Lei dos Pobres (1834) procurava liberar a mão-de-obra necessária à instituição da sociedade de mercado (já no contexto de Revolução Industrial).

 Ø    As ações assistenciais deste período tinham por objetivo central induzir os trabalhadores a se manterem por meio do trabalho e os auxílios cedidos eram fortemente restritivos e seletivos. Havia também a distinção entre pobres merecedores e pobres não-merecedores.

 Ø    Após isso veio a Lei de Speenhamland, que previa o pagamento de abono para desempregados ou empregados que recebessem abaixo da renda média. Foi abolida em 1834. O ponto positivo desta é que, dava ao trabalhador o direito de negociar seu preço de remuneração, isto representou o impedimento de um mercado de trabalho competitivo, naquela época.

 Ø    Sua exclusão marcou o predomínio do Capitalismo.

 Ø    Daí por diante o trabalho passou a receber um sentido de maior socialização e até de realização.

 Ø    Porém, no capitalismo, a força de trabalho passou a adquirir um duplo sentido, atreves do valor de uso e do valor de troca. Sendo que para o capitalismo o que importa é o valor de troca das mercadorias.

 Ø    Grande responsável pelas melhorias no mundo do trabalho, em favor dos operários, foi a luta por parte do proletariado.

 

 1.            Questão social e política social

Ø    A constituição das relações sociais capitalistas é que determinaram a emergência da questão social.

 Ø    “A política e a luta de classes são elementos internos à lei de valor e à compreensão da questão social”. (p. 53)

 Ø    O conceito ‘questão social’ está impregnado de luta de classes, sem o que se pode recair em situações tipicamente corriqueiras de abordagens insatisfatórias da realidade.

 Ø    A partir da segunda metade do século XIX é acirrada a luta entre burgueses e proletários, sendo que os burgueses têm a vantagem de contarem com o apoio do estado.

 Ø    Segundo Marx e Engels, o Estado seria o comitê da classe burguesa, pois mesmo com certa autonomia está sempre a serviço do monopólio capitalista. E assim ele regulamentava as leis em prol dos burgueses e para a repressão dos proletários.

 Ø    As primeiras expressões da questão social são, portanto, a luta em torno da jornada de trabalho e as respostas das classes e do Estado.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2022

PALMEIRA DOS ÍNDIOS, CRISTO DO GOITÍ E POR DO SOL - 1º DE JANEIRO 2022

Neste primeiro de janeiro de 2022 nós resolvemos subir a Serra do Goití, até a imagem do Cristo, passando pelo Santuário da Mãe do Amparo e Mirante para Palmeira dos Índios. Também aproveitamos para dar uma conferida no novo destaque, instalado na Serra do Goití, que se trata do nome de Palmeira dos Índios (em letras garrafais e enormes). Por fim, coroamos o nosso passeio com um belíssimo Por do Sol.

SEGUIDORES